Destaque Tribal Fevereiro 2012 pt3: Sharon Kihara



Nossa querida Sharon Kihara arrasando na dança do ventre! Vale a pena conferir esse outro lado desta maravilhosa bailarina.

Destaque Tribal Fevereiro 2012 pt2: Rustiqua



Linda apresentação do grupo Rustiqua, da Eslováquia. Indicação da Ana Harff no facebook.
Simplesmente adorei! Coreografia muito bem organizada, dinâmica e com movimentos limpos e graciosos.

Steampunk Bellydance pt2

Antes de ler esse post, acesse: Introdução ao Steampunk e Steampunk Bellydance pt1


Inspirações:

Abaixo vídeos e imagens de bailarinas tribais famosas/conhecidas para inspiração na composição da dança SteamPunk.(inseridos na temática ou  bem próximo deste).



Zoe Jakes(EUA):





Samantha Emanuel(UK):






Moria Chappell(EUA):



Ariellah Aflalo(EUA):




Tempest(EUA):



Morgana(ESP):



Molly Mitchell  & Lisa Hyde(EUA):




Bex  (UK):





Katie Kay(EUA):








Hilde Cannodt(UK):




Maureen(EUA):



Zafira Company(EUA):





Barbary Coast Shakedown(EUA):

Rose Harden, Elizabeth Strong, Susan Frankovich e Mira Betz


Deshret Dance company(EUA):






Steampunk Bellydancer In The World:
Abaixo vídeos de bailarinas e grupos inseridos neste universo.

Mysfit Toyz(EUA):


Luna Rouge(EUA):



Afsana(EUA):





Chornaya Orchideya Dance Company (UKR):



Gothla 2009(EUA):



Liz Bushi (ESP):


Di'Ahna(EUA):





Troupe Moirae(EUA):




Tribal Bliss(DEU):




Maral Agnerian(EUA):




Elysium Dance Theatre(EUA):








Pavlov's Hips(EUA):










E fechamos esta seção ao "redor do mundo" com a dança abaixo, mostrando que não há idade para dançar nem para gostar de SteamPunk! ;)







SteamPunk Bellydancers BR
Espaço dedicado a divulgar nossas bailarinas que são adeptas a esse estilo


Mariáh Voltaire(PR)






Bety Damballah(PR)
www.tribaldamballah.blogspot.com/





Damballah(PR)
www.tribaldamballah.blogspot.com/







Sancta Badra(PR)
www.agnescolares.blogspot.com/







Gabriela Miranda (RS)
www.gabidarksidejewel.blogspot.com







Ana Lua (SP)


Foto by Maurice Pirotte







Ana Lua e Anna Claudia (SP)





Agradecimentos:


 Ao Capitão Escarlate – Loja Paraná
Por ter me orientado nos conceitos sobre SteamPunk  e  incentivado na realização deste post.

Ao meu marido
Por ter me ajudado na parte de games  relacionados a esse universo.

Às bailarinas brasileiras: Mariáh Voltaire, Bety Damballah, Sancta Badra, Gabriela Miranda, Ana Lua e Anna Claudia

Por terem permitido a divulgação dos seus trabalhos neste post e apoiado a realização do mesmo.



Steampunk Bellydance pt1

by Myka Jelina



Olá pessoal!


Bom, estou querendo escrever esse tema já faz um tempinho, desde 2010, quando conheci o mesmo. Lembro-me de ter comentado com a Mariáh Voltaire, em seu blog com um post com tal assunto, que também estava pensando em escrever sobre isso.  E eis que surge a oportunidade \o\ (ou o tempo livre para isso rsrs)

Antes de ler esse post, recomendo que leia: Introdução ao Steampunk



O SteamPunk  atualmente vem se caracterizando de tal forma a se tornar uma tribo urbana,  assim como é no caso dos góticos,por exemplo. Os gostos por tal universo são tão grandes que acabaram se manifestando além das estórias, tornando-se um movimento underground para aqueles que são apaixonados por esse tipo de ficcção.

Na dança, o SteamPunk vem se manifestando muito no tribal fusion bellydance, talvez por ser uma dança exótica, aberta a criatividade e ousadia, estando em constante expansão em termos artísticos. Além de unir o antigo e o novo em uma unidade, assim como o steampunk o faz. A dança tribal une passos de danças ancestrais, de tribos e povos do Oriente Médio e norte da África, além da dança do ventre, flamenco e indiana que se fusionam com danças mais “modernas”, como o jazz, ballet contemporâneo, street dance,etc. Além disso, usa acessórios que remetem a essas tribos, como as joalherias étnicas, medalhões de miçangas, saias, cholis, cintos com ornamentação artesanal e, no mesmo figurino, usa-se acessórios modernos, como coturnos, rebites, vinil, dread locks, maquiagem pesada, cabelos coloridos, meias listradas, arrastão, ou seja, um visual voltado às variadas tribos alternativas; no final, o figurino é cheio de informações que conseguem conviver harmoniosamente no mesmo ser, da mesma forma como  o figurino steampunk também consegue tal proeza sem cair no caricato ou brega, e sim mantendo uma postura elegante e ao mesmo tempo inusitada.

Dark Fusion Boutique


Steampunk Couture






Black Lotus Clothing

Bailarina: Frederique (Lady Fred)          
                       



Bailarinas: Shakra Co e Ariellah Aflalo

MaKinarium Creaciones
www.makinarium.tumblr.com/



 Dracula Clothing


Velvet Mechanism
www.velvetmechanism.com/
 


Não há passos que caracterizem a dança “SteamPunk Bellydance”, já que estes estão inseridos na diversidade de passos do tribal fusion e criatividade da bailarina em criar novas formas de expressão na mesma. Assim, atualmente, na dança, este seja tratado mais como a estética steam associado aos passos de tribal fusion, teatralidade e expressividade. Muitas bailarinas gostam de “brincar de contar”, fazendo realmente uma “dança-teatro”, utilizando acessórios como sombrinhas, malas, armas-steam,etc, assim como a ornamentação do cenário  como  fatores importantes e determinantes para um entretenimento bem elaborado e dentro da proposta do SteamPunk. As expressões, tanto corporal quanto facial são, geralmente, bem ricas(sensualidade, humor,placidez,etc), associadas a um figurino tão expressivo e criativo quanto a dança em si.

Ballet -Steampunk

Doll Burlesco-Steampunk



A estética SteamPunk no figurino e acessórios que enriquecem a apresentação, além de passos e movimentação característicos do ATS

No tribal fusion, a “dança SteamPunk” se confunde e ganha atributos de outras danças além do tribal, como o burlesco, can-can, vintage, balkan, gothic, circus,dark fusion,etc. Acho que todos estes unidos a estética do SteamPunk só tem a acrescentar no processo criativo da performance da bailarina, já que dentro do mesmo, cada um deles podem representar um tipo de personagem distinta.

Dark cabaret, gótico e steampunk  fusionando e se confundindo

 Nota-se que não há uma “dança SteamPunk”, como no caso, por exemplo, de danças ciganas ou vintages, com sub-gêneros, figurinos e uma formatação de passos próprias.E sim a adequação de tipos de dança, desde o tribal fusion, quanto ballet, tango,etc, com o visual e o conceito desta temática. Além disso, pode haver fusão entre duas ou mais danças para compor uma “performance SteamPunk”.Os movimentos podem variar, desde charmes e sensualidade próprios do burlesco e can can; movimentos sinuosos da dança do ventre; passos de outras danças, como o ballet, jazz, flamenco, tango, salsa , danças vintages, como o charleston,etc; movimentos quebrados, do street dance, fazendo alusão a movimentos mecânicos/robóticos; e movimentos próprios do ATS, para poder ser caracterizando como uma dança tribal.


Musical retratando movimentos mecânicos

As músicas variam muito com a proposta, podendo ser realmente músicas de décadas ou séculos passados, como músicas atuais, que misturam instrumentos clássicos, como violino e violoncelo com batidas eletrônicas. Duas bandas que bailarinas-steampunk usam muito são: Abney Park e Beats Antique.  A primeira apresenta o visual e as letras dentro da ambientação SteamPunk. Talvez a música “Sleep Isabella” possa ser considerada um hino entre as tribal bellydancers, já que muitas, não só voltadas ao SteamPunk, mas somente ao universo tribal, já dançaram esta música. A segunda foi criada para acompanhar as bailarinas tribais do BDSS, mas a cada álbum mostra uma proposta diferente, onde as bailarinas realizam um verdadeiro show com temas variados e cenários inusitados! Essas são as mais conhecidas e utilizadas na dança, mas há uma infinidade de bandas inseridas nesta proposta.


Molly Mitchell & Abney Park




Tempest & Abney Park




Sidonia & Abney Park





Zoe Jakes & Beats Antique





Continuação: Steampunk Bellydance pt2
>

Introdução ao Steampunk

Bom, vou dar uma “pincelada” sobre o que é o SteamPunk, já que ainda estou “engatinhando” neste universo, e depois dar maior enfoque na dança.

Vamos lá?




SteamPunk é um sub-gênero de ficção científica, cujo termo foi “rotulado”  na década de 80, quando alguns autores da época procuravam uma maneira de traduzir e identificar o mesmo. Porém, a literatura neste estilo é bem mais antiga do que sua catalogação, com autores consagrados, como por exemplo, Julio Verne (1828-1905) e H. G. Wells (1866-1946), cujas estórias servem de inspiração até hoje!

Em um primeiro contato, ou em uma primeira impressão com este universo, encontram-se personagens retratadas no século XIX, na Europa, no auge da riqueza e exuberância da Era Vitoriana. O grande diferencial nisso tudo é o avanço tecnológico para a época em questão! Engenhocas, armas, robôs e mecanarias que funcionam graças a tecnologia à vapor; e tão diversos acessórios “ malucos” se mesclando ao visual elegante e rebuscado da época de forma a se combinarem tão harmoniosamente como se fossem “feitos um para o outro”, contribuindo para que tudo aquilo se pareça real e faça algum sentido. Mas não para por ai. O SteamPunk em si seria como um universo paralelo onde todas as épocas podem ser retratadas de forma steam com influência vitoriana. Isso, por si só, enriquece bastante esse movimento que vem crescendo em nosso país. Além do estilo inglês, os brasileiros costumam misturar culturas locais, enriquecendo mais ainda esse novo estilo com cara de antigo, daí o retrofuturismo.

Talvez por causa do seu visual extravagante e sua ambientação retrofuturista, diversas tribos urbanas, como góticos, punks, etc, se identifiquem com ele, já que similar a esse “estilo”, confrontam a realidade e chocam os nossos conceitos e lógicas. Pois é um “mundo” onde podemos nos expressar com toda nossa imaginação e criatividade.

Assim, o que começou como apenas idéias em livros com o amarelar das traças, tomou forma e suas cores de sépia invadiram RPG’s, games, filmes, músicas, danças(\o/), animes, grifes e tudo o que puder imaginar! E agora, não só envolvidos pelos enlaces vitorianos, mas em várias outras épocas, retratadas de maneira totalmente alternativa diferenciando da original Era Vitoriana! Não só se restringindo a Europa, mas o planeta como um todo e, porque não, a galáxia inteira? ;) Visuais não só vitorianos, mas medievais, asiáticos e até podendo ser retratados nas Américas! Uma infinidade de possibilidades para viajarmos, tornando esta fantasia em realidade para o nosso próprio ser.


Steamplays de etnias diferentes:























   




 












Airship:

     



      




  Acessórios, engenhocas,armas,etc:



    



Curiosos:

  
  





 Games(Personagens):
[Final Fantasy]








[Chrono Trigger]



[Wild Arms]




[Sparkester]


[Warhammer]



 [Monster Hunter]







Filmes, desenhos, animações,animes:





A Máquina do Tempo

O Cavaleiro Sem Cabeça

Van Helsing

A Liga Extraordinária

Hellboy II

A Bússola de Ouro

As Loucas Aventuras de James West



Sucker Punch



9 - A Salvação




Atlantis - O Reino Perdido


O Planeta do Tesouro

Chrono Crusade





Fullmetal Alchemist
Para saber mais sobre SteamPunk, acesse:

Bom, depois dessa descrição, vamos nos voltar a dança...

Post pré-requisito para o  Steampunk Bellydance pt1 e Steampunk Bellydance pt2
(Dividi o post em três partes devido ao tamanho extenso)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...