Clique na imagem acima para mais informações! Votação até de 25 de fevereiro!

Eventos - Em qual eu vou??

por Gabriela Miranda e Yoli Mendez



Um breve guia dos Eventos Internacionais de Tribal que acontecem no Brasil

O primeiro evento exclusivamente voltado aos praticantes de Tribal Fusion aconteceu no ano de 2007, em São Bernardo do Campo-São Paulo, promovido pela Bele Fusco Escola de Danças, que trouxe ao Brasil a bailarina americana Sharon Kihara. O evento aconteceu na própria escola onde foram realizadas as aulas e um pequeno show.  Tamanho foi o sucesso que Sharon retornou no ano seguinte para um intensivo de 7 dias de aulas na Escola e todos os ingressos para vê-la dançar se esgotaram rapidamente. Em 2009, quem esperava ansiosamente pela vaga para estudar com a Sharon, como eu, teve uma surpresa maravilhosa: Sharon estaria acompanhada por Mardi Love, que naquele ano integrava o The Indigo,  e Ariellah Aflalo, em um evento que reuniu mais de mil pessoas em São Caetano do Sul, entre alunas, professoras, expositores e visitantes. Eu estudava Tribal com a fofa da Mariana Quadros desde Novembro de 2008 e não tinha certeza se em tão pouco tempo de dança estaria preparada para uma maratona de 3 dias inteiros de exercícios, passos, combos, conceitos e aquela paradinha básica para babar nas dancers. Considero o Tribal y Fusion o nosso primeiro modelo de evento internacional realizado no Brasil, modelo este que hoje muitos organizadores seguem. Tenho certeza que quase todo mundo que hoje em dia organiza seus próprios eventos internacionais estava lá naquele julho de muito frio absorvendo o Tribal diretamente da fonte.



Há 6 anos atrás não tínhamos muito que pensar a respeito de eventos de Tribal no Brasil pois existiam muito poucos, mas atualmente este quadro mudou. Atualmente temos uma média de 4 a 5 eventos brasileiros que, anualmente ou bianualmente, trazem bailarinas internacionais para aulas, shows e, algumas vezes, para aulas particulares. Para muitas bailarinas fica difícil ter dinheiro para participar de todos e fica difícil também escolher apenas um.

Gothla Brasil 2012
Nossa intenção com essa coluna é compartilhar um pouco da nossa opinião nestes 6 anos de caminhada através dos eventos, para tentar ajudar quem fica com o ponto de interrogação quando se depara com mil e um flyers de divulgação no seu feed de notícias do Facebook.


Tribal Skin Fest


Bom, a primeira dica é: não importa o tempo de dança que você tenha, se você tiver condições de participar de pelo menos um destes eventos, participe! Pensar que temos pouco tempo de dança e que ainda não estamos preparadas para acompanhar as aulas é besteira. Você pode até sentir dificuldade em alguns momentos, mas com certeza levará para casa uma experiência única além da energia mágica que sempre permanece após todo esse encontro de tribo e festa. Para a maioria das bailarinas que frequenta esses eventos, seja os de grande ou pequeno porte, as aulas não são o único foco, as novas amizades que se estabelecem nos unem cada vez mais como tribo e esta união dentro do nosso estilo é realmente muito importante. Mas, caso ainda realmente não se sinta a vontade para participar das aulas, é sempre muito importante, como espectador e estudante, participar dos shows que geralmente acontecem juntamente com os eventos, até mesmo para prestigiar o meio Tribal e dar suporte às pessoas que fazem o estilo seguir em frente no país.

Quando já temos uma caminhada considerável de dança fica um pouco mais complicado escolher o evento quando não podemos, infelizmente, pagar por todos eles. Algumas de nós escolhem ter aulas com profissionais com quem ainda não estudou. Outras escolhem o estilo ou vertente (ATS®, Dark Fusion, ITS, Contemporâneo, etc...) com que mais se identificam. E muitas bailarinas acabam optando por estudar sempre com bailarinas que se identificaram pessoalmente, seja com a aula ou personalidade, se mantendo alunas fiéis daquela professora toda vez que a mesma retorna ao país. É claro que os valores também pesam nestas decisões.


Shaman's Fest


Lembrando também que para nós brasileiros, é razoavelmente fácil viajar para os países vizinhos como Argentina, Uruguai e Chile onde também rolam festivais internacionais a preços super acessíveis como, por exemplo, o festival Opa Fest, que neste ano acontecerá em Julho tendo como bailarina internacional Ashley Lopez. O custo das aulas é de $134 USD pelas  8 horas. Infelizmente com a alta do dólar esses valores ficam um pouco mais salgados, mas é sempre interessante considerar estas possibilidades.  

Aqui abaixo os principais eventos e seus respectivos shows, que trarão bailarinas internacionais ao solo tupiniquim.







Tribal Remix: 

Tribal Remix é um Festival Anual de Tribal Fusion que acontece em Brighton, Inglaterra. Hoje em seu quarto ano o Tribal Remix já hospedou algumas das melhores bailarinas e professoras do estilo tais como Sharon Kihara, Mardi Love, Sera Solstice e muitas outras. Em 2015, Hilde Cannood, produtora do Tribal Remix firmou uma parceria com a bailarina e produtora brasileira Bela Saffe para produzir uma edição do evento que aconteceu em Salvador, Bahia.  Neste ano a bailarina convidada foi Sharon Kihara. Infelizmente, não pudemos comparecer a este evento neste ano, porém lemos e ouvimos muitas coisas lindas a respeito. Quem foi e participou, amou! 

Já participamos de outro evento organizado pela querida Bela Saffe, em 2011, que teve como atração principal Mira Betz, uma de nossas professoras favoritas. O evento foi lindíssimo... Dançamos em um picadeiro de circo, e Mira deu aulas sensacionais, como sempre (já havíamos estudado com ela em Buenos Aires, em 2010), e a Bela produziu tudo com muito amor e carinho.


Festival Campo das Tribos: 

O Festival Campo das Tribos acontece anualmente em São Paulo, capital, e é produzida por Rebeca Piñeiro, proprietária da Escola que leva o mesmo nome do evento. O Festival Campo das Tribos acontece sempre no primeiro semestre do ano e já trouxe ao solo paulista as bailarinas Lady Fred, Kami Liddle, Kristine Addams e, em sua sétima edição, trará a mãe do ATS ® Carolena Nericcio e Megha Gavin, integrante do grupo FatChance BellyDance. O Festival durará 7 dias e também será o único evento da America Latina que permitirá que as bailarinas interessadas tirem a certificação de Sister Studio, ou seja, que sejam formadas pela própria criadora no Estilo. Neste ano o Festival não terá aulas com os professores brasileiros como nas edições anteriores e acredito que já não existam vagas para as aulas com Carolena, porém vale a pena assistir ao show de gala para ter a oportunidade única de ver bem de pertinho a criadora do nosso tão amado ATS®. Nós participamos do evento Campo das Tribos desde sua primeira edição aberta e segunda edição do evento (a primeira foi somente para alunas da Rebeca Piñeiro). Dançamos no show de gala e já trabalhamos algumas vezes ajudando na produção com tradução e assessoria às bailarinas internacionais. A Gabi deu aula no quadro de professores nacionais diversas vezes. É um evento lindo que reúne uma grande quantidade de gente do meio Tribal! Vale muito a pena dançar nas mostras e fazer todos os cursos, seja com professores internacionais ou nacionais. Mas mesmo se você não puder fazer as aulas, vale a pena assistir ao show, recheado de estrelas do Tribal nacional, e de quebra conferir os expositores na Feira Tribal que acontece durante todo o dia do show.


Gotlha Brasil: 




Um festival para quem curte o Dark Fusion ou Estilo Gótico, e também para quem ama a Dança-Teatro, ou uma dança mais expressiva no geral. Tendo Ariellah Aflalo como mestra praticamente regular, este ano o evento contará com a participação das bailarinas Lady Fred e April Rose, que estreará no Brasil trazendo o maravilhoso repertório de ITS do Unmata, criada pela bailarina Amy Sigil. O evento iniciará no dia 07 de Agosto com as aulas dos profissionais do Brasil que podem ser adquiridos no site do evento com muitas facilidades de pagamentos. Este evento é muito especial, pois é o único no país referente a esse sub estilo. Participamos desde a primeira edição, sempre fazendo as aulas. Nesse ano estaremos dançando no show e também dando aula em conjunto, um workshop para duetos/duos de Tribal! O show é sempre um espetáculo a parte, temático e com enredo bem amarrado entre os integrantes. Uma produção maravilhosa de encher os olhos! Vale a pena conferir.

Shaman’s Fest:

Um festival organizado pela Cia Shaman, que tem como diretoras Cibelle Souza e Paula Braz. Os eventos são realizados no interior de São Paulo e em Natal – RN, alternando os locais a cada edição. Na última edição, a produção da Cia Shaman trouxe a própria Rachel Brice para a cidade de Jundiaí – SP, reunindo um número enorme de bailarinas de toda a América Latina. A Gabi trabalhou como tradutora da Rachel e eu, pude participar somente do último dia de aulas. O lugar foi um sítio sensacional, paradisíaco. Evento lindo, produzido por uma companhia de dança igualmente linda. Vale a pena conferir o show, com diversos números da própria Cia Shaman entre os convidados, sempre grandes nomes do Tribal nacional. Também conta com Feira Tribal com diversos expositores do meio e mostras. Esse ano a Cia não trará nenhuma bailarina internacional, pois se prepara para o evento que realizará no ano que vem.

Tribal Skin Fest:


Esse festival é organizado e realizado por nós duas, Gabi e Yoli, e com assessoria de diversas pessoas extremamente queridas para nós. Acreditamos que foi o primeiro festival internacional realizado por um Ateliê, e pretendemos continuar realizando o evento bianualmente. Na nossa primeira edição, realizada em São Paulo – SP, trouxemos a queridíssima Sonia Ochoa para ensinar Flamenco Fusion e Dança do Ventre. A Gabi traduziu uma parte dos Works e oura parte foi ministrada em espanhol. As aulas foram sensacionais. O show de gala contou com amigos muito especiais para nós, profissionais de diversos tipo de dança como Dança do Ventre, Dança Flamenca, Dança Clássica Indiana (Odissi), Tribal Fusion, ATS®, entre outros. Nossa próxima edição será realizada no Rio Grande do Sul, no ano de 2016 com uma bailarina internacional do Estilo Tribal. Aguardem!




Eventos Nacionais:

Diversos outros festivais nacionais são realizados anualmente dentro do Estilo Tribal divulgando e enaltecendo o trabalho de nossas profissionais brasileiras. Temos a linda Caravana Tribal Nordeste, responsável por reunir e prestigiar os talentos dessa região do país, com professores regionais e um show organizado pelas próprias meninas, cheio de fusões brasileiras super originais e maravilhosas. Temos o Oriental Fair, organizado pela Bia Vasconcelos, que sempre reúne uma grande quantidade de pessoas na Bahia, e conta com um show temático, estruturado e super-produzido... Uma das produções mais lindas das que tivemos a honra de prestigiar e também dançar. Somente citando dois exemplos de inúmeros festivais e eventos que estão ocorrendo atualmente em nosso país. Eventos novos surgem a cada ano, mostrando a força do nosso estilo e o quanto ele está crescendo. Isso deve nos encher de orgulho e sentimento de fraternidade.

Os eventos – sejam eles nacionais ou internacionais – são importantíssimos para a continuidade do nosso estilo e da nossa arte, merecem prestígio e divulgação. Aqui no Brasil temos a sorte de termos profissionais excelentes, sendo inclusive elogiadas pelas próprias professoras gringas lá fora. A cena do Tribal Fusion no Brasil tem sido considerada, por inúmeras bailarinas internacionais, como uma das melhores e mais promissoras do mundo!


Então para escolher o evento que irá participar, tente levar em conta – além do preço e da proximidade do local – o método de ensino e bagagem da professora internacional, o que ela pode acrescentar ao seu estilo pessoal. Obviamente TODA PROFESSORA IRÁ ACRESCENTAR ALGO VALIOSO À SUA DANÇA, mas se você não pode comparecer a todos os eventos, é ideal que mantenha em mente um foco de estudo inicial, pelo menos. Dê preferência para estudar com professoras que vão acrescentar conteúdo ao que você está se dedicando agora. Pesquise sobre as professoras, assista seus vídeos de performance, sua aulas online. Lembrem-se de também prestigiar suas professoras regionais em suas produções,  compareça a tantos eventos quanto puder, faça aula com todas as professoras que conseguir, e faça a dança continuar em movimento. O Tribal é um estilo que prega a coletividade e união, vamos manter esse espírito, fazer o conhecimento rodar e elevar o patamar da nossa Arte juntas! Afinal, não existe Tribal sem tribo. :D



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...