STS - Street Tribal Style (Estilo tribal de Rua ) por Satory Brier


STS - Street Tribal Style
Satory Brier, Belo Horizonte-MG, Brasil

Sobre a Coluna:

Na coluna irei falar do estilo STS ( Street Tribal Style ) e também sobre as influências que ele sofre como as danças urbanas, a filosofia budista, cultura hip hop, etc.


O STS ( Street Tribal Style ) é um estilo criado pelo dançarino e professor Brendo "Satory" Brier.

Em 2015, Satory começou a estudar o Tribal e suas influências como o Tribal Fusion, Tribal Brasil e sua referência e como base o ATS®. Ele percebeu que no tribal fusion os dançarinos abusavam muito de isolamentos e movimentos das danças urbanas. Porém vários dos movimentos urbanos eram vagos e sujos. Muito dos dançarinos de tribal não eram de danças urbanas e apenas usava um movimento ou outro dentro do tribal pronunciando como Tribal Fusion. Satory como dançarino, professor e pesquisador das danças urbanas desde 2011 viu a oportunidade de poder fundir sua dança à cultura do Tribal de uma forma que as movimentações urbanas dentro do tribal não seriam vagas. Com o intuito de valorizar as danças urbanas tanto quanto o tribal podendo trabalhar as duas danças juntas com  pleno conhecimento e habilidade. Com a características dos dois estilos, fundamentos e bases o estilo foi criado.

Com a linha do tribal voltada totalmente para o ATS®, Satory aproveitou para se inspirar no estilo e na sua criadora Carolena Nericcio.  Devido a isso, o TS é uma nova linha dentro da área do tribal como o Dark Fusion, o Tribal Fusion e o Tribal Brasil. Ele dá continuidade a árvore do tribal possibilitando um novo estilo mas mantendo a essência e cultura.


Dentro do estilo é trabalhado não apenas a dança em técnica (corpo), mas também em mente e espírito. A dança como um todo é diferencial e potente. 

Sobre o Autor:


Satory Brier é bailarino, professor, coreógrafo, arte-educador pesquisador e terapeuta holístico é belo horizontino (Brasil ) e profissional da dança desde 2011.

Teve sua formação inicial através do Programa Valores de Minas em 2011 e logo em seguida, no ano de 2012, concluiu o módulo de Capacitação e Especialização Artística também através do Programa. Em sua formação artística possui experiências na dança de salão, jazz, ballet, dança contemporânea, dança afro, danças orientais e especializou-se nos estudos das Danças Urbanas fazendo vários cursos intensivos com pioneiros do estilo como Popin Pete (Popping), Gemini Lockiano (Locking) e Lauren Courtellemont (Dancehall).
Atualmente cursa Licenciatura em dança na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), é um ZIN (ZUMBA INSTRUCTOR NETWORK) e dentro das Danças Urbanas, Satory focou seus estudos no estilo House Dance, fazendo aulas com vários professores brasileiros e internacionais, como Leandro Belilo (Diretor da Cia. Fusion de Danças Urbanas – Belo Horizonte), Nene Ds (Made In Brazil - São Paulo), Eszteca Noya (Amsterdam – Holanda), Marjorie Smarth (uma das pioneiras do House Dance - EUA) e tem sua formação com Edson Guiu (pioneiro do House Dance no Brasil).
Participou de eventos de grande porte como o FIH2 em Curitiba, Festival Nacional de Três Rios e H2K (Hip Hop Kemp) no Rio de Janeiro e atuou em Grupos e Companhias especializadas nas danças urbanas como Cia. Friendship, Anjos de Rua e Contraste.
Além das danças urbanas especializa também no Tribal e ATS®( American Tribal Style). Estilo de dança do ventre ocidental onde abrange várias vertentes e influências de outras danças como flamenco, dança cigana e a dança indiana. Fez aulas com as maiores profissionais do Brasil como Kilma Farias ( Tribal Brasil ) e Joline Andrade ( Tribal Fusion ) e agora desenvolve um estilo próprio denominado STS ( Street Tribal Style ) onde mescla as danças urbanas com o tribal possuindo características próprias.
É Terapeuta Holístico ( A terapia holística é aquela que segue os princípios do holismo que significa todo ou inteiro. Ou seja: trata o ser humano como um todo onde predominantemente se busca o equilíbrio corpóreo, psíquico, energético e social. ) tendo sua especialidade no REIKI e na Massoterapia.

Atualmente Satory faz atendimentos, ministra aulas e workshops, e atua como dançarino profissional.

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. *respost do comentário original*

    Olá Satory!
    Achei interessante seu trabalho, mas fiquei com algumas dúvidas. Se me permitir, gostaria de entender melhor seu STS ®.
    Primeiro de tudo: ele é ® mesmo no sentido de projeto estruturado e registrado?

    A seguir, um ponto do seu texto que me intrigou foi "no tribal fusion os dançarinos abusavam muito de isolamentos e movimentos das danças urbanas. Porém vários dos movimentos urbanos eram vagos e sujos". Fiquei me perguntando o motivo de ter essa impressão. Talvez porque a idéia do tribal fusion seja uma fusão com esses movimentos e não o uso deles puros? Não sei, mas creio que muitos dançarinos de tribal estudam os estilos urbanos e usam mais do que movimentos "vagos".
    O mesmo trecho que citei me trouxe outra dúvida: o que dizer de grupos como Orchidaceae e Unmata que trabalham profundamente há anos a fusão do tribal com as danças urbanas e inspiram muitos dançarinos pelo mundo?

    Gostaria de entender sua proposta pois esse assunto muito me interessa.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí luh ! firme e forte querida ?
      Adorei as perguntas!
      Então, o STS é um nome registrado sim !^^
      Sobre os dançarinos abusarem de isolamentos e movimentações urbanas era de alguns dançarinos(as) e de alguns movimentos, ou seja, não tudo generalizado ! Afinal, muitos grupos e dançarinos pesquisam as danças urbanas sim como é o caso do grupo Orchidaceae. O tribal fusion permite muito como o Illan que abusa bem do jazz. Porém, há também aqueles que falam de fusão com movimentos urbanos mas é algo vago e sujo. O que seria o movimento vago e sujo ? defini a palavra como vago pela pessoa não ter uma vivência dentro daquele estilo e cultura. As danças urbanas tem um traço muito forte disso. Da mesma forma como a dança indiana, que se você não recebeu um ensino de um guru, ou viveu um tempo dos costumes da cultura indiana ou até mesmo na questão religiosa como hinduísmo. Não que é obrigado, mas que quando se vive aquilo deixa de ser vago e passa ter muito mais presença e definição. E o sujo inclui desta mesma forma. Porque não se trata apenas da técnica em si mas se trata de toda uma cultura, história, essência por trás de tal movimento. Além disso muitos dos grupos usam o estilo popping como influência para o tribal. Mas muitos não sabem que ele é apenas um estilo das danças urbanas. Existem vários tipos de danças urbanas e o intuito do STS é mostrar essa variedade. Por eu ser um pesquisador e dançarino das danças urbanas é possível ver melhor se movimentos das danças urbanas é usado ou não e como é usado. Igual quando uma pesquisadora e dançarina do ventre conseguirá definir se foi executado um shimmie da dança do ventre ou um shimmie que vem do significado de tremer. entende ? O STS está vindo para trazer as danças urbanas junto com o tribal. Trabalhar as duas juntas, com todas suas características, técnicas, costumes ! E além disso ter suas próprias bases, pilares, filosofia e muito mais.
      Espero ter conseguido esclarecer sua dúvida e que tenha entendido um pouco de minha proposta. E tem muita coisa pra vir ainda aqui no blog, que com o tempo e demandas do material poderá entender melhor.
      Por favor, se tiver mais dúvidas me manda que terei o maior prazer em responder e até mesmo me ajudar !
      Um beijo enorme !!!

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...